BÍBLIA COMENTADA NO WHATSAPP!



Se você quer receber versículos no seu WhatsApp,
basta enviar uma mensagem pelo Whats para:



+55 11 97554 4484


É simples, prático e muito fácil estar
em contato com a Palavra de Deus!



Um Serviço adWhats


Can God Judge Me? (Deus pode me julgar?) Mark Driscoll





O que você está para ver,

são respostas reais, cruas e ao vivo,

dadas perto das 10 da noite

a perguntas enviadas por Torpedo, que eu recebo

depois de nosso culto final de domingo à noite, na Marshill Church.

Se eu são um pecador tão perdido a ponto de não poder escolher Jesus, que direito Ele tem de me julgar?

Se eu não posso escolher, um bom julgamento contra minha vontade seria injusto.

Não. Todos recebem o que querem.

Exceto os cristãos.

Essa é a verdade.

Vou encerrar com essa história.

Vai ilustrar esse argumento.

Cada ser humano escolheu pecar contra, rebelar-se contra, fugir de Deus.

E Deus deixa eles ir.

E, cada um, exceto os cristãos, recebe exatamente o que sua vontade escolhe.

São os cristãos que declarariam que Deus está sendo injusto por não lhes dar o que eles querem.

Não os não-cristãos.

Os não-cristãos fogem de Deus e acabam no inferno. É exatamente isso o que eles estão querendo.

Os cristãos fogem de Deus para o inferno. Ele os agarra e os leva ao céu.

Se alguém fosse reclamar, deviam ser eles.

"Você violou meu livre-arbítrio."

História verdadeira.

Alguns de vocês ainda estão lá.

Você, tipo: "Eu sou esse cristão."

"Eu sei que sou salvo. Só não estou tão animado com isso."

"Esperava ficar nu por mais tempo e você arruinou tudo."

Vou encerrar com essa história séria. É assim que eu vejo isso.

Eu estava ouvindo o rádio algum tampo atrás.

E tinha esse pregador, pastor, cara-da-bíblia no rádio (ele geralmente faz um bom trabalho).

Ele disse que "a doutrina da eleição apresenta Deus como um estuprador e não um amante."

E eu fiquei maluco, como sempre fico.

E o argumento dele foi: é estupro Deus se sobrepôr à nossa vontade.

E minha resposta é: Deus, de fato, se sobrepõe à vontade dos eleitos.

Mas Ele o faz não como um estuprador abusando uma vítima,

mas como um Pai amoroso salvando uma criança tola.

Alguns anos atrás, minha esposa e eu (Grace) vivemos em Montlake Boulevard, bem perto do Estádio Husky.

Quatro vias de trânsito, pessoas voando bem rápido, vindo da escola, vindo do jogo, dezenas de milhares de pessoas.

E, em uma ocasião, minha filha Ashley era pequena na época, talvez dois ou três anos de idade.

Nós íamos pôr ela no carro. E ela se virou e correu de nós, em direção ao trânsito.

E nossa casa era bem próxima da rua.

E nós a agarramos, acalmamos ela e dissemos:

"Querida, é perigoso lá. Tem carros, eles não podem te ver. Você vai morrer. VOCÊ VAI MORRER."

Nós continuamente explicamos isso para ela.

"Não corra. Fique com mamãe e papai. Não corra para o trânsito."

Ela obedeceu por um tempo.

E, então, um dia, eu tinha minhas mãos ocupadas. Ia pôr algo no carro,

e ia pegar ela, e pôr ela no carro,

e eu olhei pelo canto do meu olho, e ela estava correndo

o mais rápido que podia, com seu rabinho de cavalo balançando,

para dentro do trânsito em Montlake Boulevard!!!

Carros voando a cerca de 70 quilômetros por hora!

E lá ia meu bebê correndo para o trânsito.

Desobedecendo completamente seu pai.

Ela está exercendo seu livre-arbítrio.

Ela não era regenerada aquela vez, agora está regenerada,

e sua vontade não-regenerada era a de desobedecer.

E, enquanto ela corria, eu pregava a ela arrependimento.

"Ashley, pare!!!"

"Ashley, pare!"

"Volte para seu papai!" Isso é arrependimento.

Voltar para seu Papai.

E eu olhei, e ela estava chegando à rua. E eu começei a correr imediatamente.

E eu estava pregando a ela. Perseguindo ela.

E, estacionado em frente à nossa casa, estava um carro.

E ela, tão pequena, estava correndo para o trânsito pela frente do carro estacionado,

o que significa que qualquer carro vindo não poderia vê-la.

Ela estaria na linha de trânsito antes que vissem ela.

Minha garotinha ia morrer.

E eu vi esse enorme caminhão descendo a rua.

Vindo a, talvez, setenta quilômetros por hora.

Agora, eu revelei meu coração, eu a amo!

Eu apresentei esse convite gratuito para se arrepender.

Eu a chamei de volta para mim,

enquanto ela está exercitando sua vontade não-regenrada.

Então, eu exercito meu desejo de pai amoroso.

E eu a persigo. Eu estou chamando ela, e estou perseguindo ela.

E ela está em frente ao carro, NO trânsito.

E eu a agarro, literalmente, por trás de seu casaquinho.

E eu literalmente a arranco do trânsito, da frente do caminhão que estava vindo.

Estava, seriamente, a centímetros de ela ser perdida por um caminhão a 70 km/h

que nem teve tempo de pisar no freio, porque nem teve tempo de vê-la.

Minha filha viveu por pouco!

Isso é eleição.

Onde o Pai, em amor, persegue filhos tolos, obstinados e desobedientes,

que escolheram a morte.

E ele decreta que, mais importante que a vontade deles,

é o Seu amor.

E qualquer um que esteja aqui, e que é cristão, deve agradecer a Deus

que ele não só os chamou, mas Ele também os perseguiu.

E que, em Jesus Cristo, Ele estendeu a mão, os agarrou e os arrancou para Si.

E qualquer outro que corre de Deus não tem direito de chamá-lo de injusto.

Ele é moralmente responsável por sua rebelião.

E, se você está aqui esta noite, e é um cristão, você deve louvar a Deus

por ter um pai amoroso, que te agarrou pelo pescoço e te poupou de Satanás, pecado,

morte, ira, julgamento e tormento eterno e consciente no inferno.

Ele não te deve nada!

Mas ele te deu todas as coisas.

E, se você está aqui de noite e não é um cristão,

não jogue jogos filosóficos com o Deus Vivo.

Não discuta com Ele sobre Ele não ser bom.

Não argumente com Ele sobre Ele não ter o direito de julgar você.

Você está revelando a mesma dureza de coração que Faraó.

E esse sermão pode ser a maneria de Deus pela qual teu coração duro seja

revelado a você, para que você leve Deus a sério, veja a si mesmo claramente,

para que você caia em si, e que você retorne ao seu Pai.

Para que você receba Sua mão de salvação estendida a você, através

da vida, morte, sepultamento e ressurreição de Jesus.

A questão não é se Deus é justo.

A questão é: nós confiamos nEle?

A questão é essa.







Comentários

Enviada Por: PAULO H BASSANI
Em:
Amém...ótimo exemplo!



Enviar Comentário