BÍBLIA COMENTADA NO WHATSAPP!



Se você quer receber versículos no seu WhatsApp,
basta enviar uma mensagem pelo Whats para:



+55 11 97554 4484


É simples, prático e muito fácil estar
em contato com a Palavra de Deus!



Um Serviço adWhats



 Filipenses - Cap.: 1

1234
1 - PAULO e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Cristo Jesus, que estão em Filipos, com os bispos e diáconos:
    1:1 Paulo e Timóteo. Timóteo, presente na fundação da igreja de Filipos (Atos 16), é conhecida para os leitores (2:22 ). Elsewhere Paulo chama-se "apóstolo", e Timothy "nosso irmão" (2 Coríntios. 1:1; Cl 1:1).
    escravos. Um escravo "é um escravo. Timóteo é como um filho de Paulo (2:22), mas ambos estão sob o Cristo Senhor.
    em Cristo Jesus. Uma das maneiras favoritas de Paul de descrever a união do crente com Cristo. Esta frase ocorre dez vezes em Filipenses.
    bispos e diáconos. Esses termos designar a dupla liderança na igreja em Filipos (1 Tm. 3:1-13).
    1. Servos - São Paulo, escrevendo aos Filipenses familiarmente, não do estilo próprio um apóstolo. E sob o título comum de funcionários, ele ternura e modestamente junta-se com seu filho Timóteo, que tinha chegado a Filipos não muito tempo depois de São Paulo tinha recebido dele, Atos XVI, 3, 12. Para todos os santos - As epístolas apostólicas foram enviados mais diretamente para as igrejas, que para os pastores deles. Com os bispos e diáconos - O ex devidamente teve o cuidado de o estado interno, este último, da exterioridade, da igreja, 1 Tm. iii, 2-8, embora estes não foram inteiramente confinado a uma, nem aqueles que a outra. A palavra bispos aqui inclui todos os presbíteros que estão em Filipos, bem como os presbíteros decisão: o bispo nomes e presbítero, ou ancião, sendo usado indiscriminadamente nas primeiras idades.
2 - Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai e da do SENHOR Jesus Cristo.
    1:2 Grace ... e paz. Essas duas palavras, uma expressão concisa do efeito da obra salvadora de Cristo, aparecem juntas em todos os treze anos de saudações de Paulo. A fonte comum de graça e de paz é "Deus, nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo".
3 - Dou graças ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós,
    1:3, 4 memória de Paulo aos Filipenses o leva a orar por eles com freqüência ( "em cada oração da mina") e com gratidão ( "I graças ao meu Deus ").
4 - Fazendo sempre com alegria oração por vós em todas as minhas súplicas,
    1:4 com alegria. A alegria é um tema dominante em Filipenses (vv. 18, 26, 3:1, 4:4, 10). Ver a Introdução.
    4. Com alegria - Após a Epístola aos Efésios, onde reina o amor, segue este, no qual há menção perpétua alegria. O fruto do Espírito é: amor, alegria." E a alegria peculiar anima oração. A soma de toda a epístola é, eu me alegro. alegrai-vos.
5 - Pela vossa cooperação no evangelho desde o primeiro dia até agora.
    a sua bolsa 1:5. A Filipenses 'apoio financeiro é especialmente tendo em vista (4:10-20).
    no evangelho. A palavra "evangelho", termo favorito de Paulo para sua mensagem, ocorre nove vezes em Filipenses (mais, proporcionalmente, do que em qualquer outro carta). Paulo e os filipenses estão unidos pelo compromisso comum para o evangelho (v. 7).
    a partir do primeiro dia. Isto é, desde o primeiro evangelho chegou a Filipos (4:15, Atos 16:12-40).
    5. O sentido é, agradeço a Deus por sua comunhão conosco em todas as bênçãos do evangelho, que tenho feito desde o primeiro dia da sua recepção até agora.
6 - Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo;
    1:6 Ele ... irá concluí-lo. A perseverança dos santos depende de Deus, preservando-os pela graça. Consulte "A perseverança dos santos" em Rom. 8:30. Perseverança salvadora de Deus da perseverança dos santos em que declara a segurança eterna do povo de Deus, talvez seja mais claro falar de sua preservação do que, como normalmente é feito, de sua perseverança. Perseverança significa continuou a adesão a uma crença apesar de desânimo e de oposição. A razão que os crentes perseveram na fé e na obediência, no entanto, não é a força do seu próprio compromisso, mas que Jesus Cristo pelo Espírito Santo, preserva-los.
    6. Ser convencido - Os motivos de persuasão que são estabelecidos no verso seguinte. Que ele tem que começou a boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo - que ele que, tendo justificado, tem começado a santificá-lo, vamos continuar este trabalho, até que ela causa na glória.
7 - Como tenho por justo sentir isto de vós todos, porque vos retenho em meu coração, pois todos vós fostes participantes da minha graça, tanto nas minhas prisões como na minha defesa e confirmação do evangelho.
    1:7 tê-lo em meu coração. As palavras gregas poderia ser processado ", você me tem em seu coração." Os filipenses estão "participantes ... de graça" com Paulo através do apoio do seu ministério (cf. v. 5).
    defesa e confirmação. Os termos sugerem testemunho apostólico durante um julgamento (cf. v. 16, Marcos 13:9-11).
    7. Como é bom para mim pensar isso de todos vocês - por quê? Ele não diz, Por causa de um decreto eterno", ou "Como um santo deve perseverar", mas, porque eu tenho você no meu coração, que eram todos participantes da minha graça - Ou seja, porque fostes todos (para que eu tenho você no meu coração, eu presto-lhe muito grato e terna afeição) participantes da minha graça - Ou seja, os companheiros nas aflições que Deus dignou-me como uma graça ou favor, ver. 29, 30, tanto nas minhas prisões, e quando fui chamado para trás para responder para mim, e para confirmar o evangelho. Não é improvável que, depois de terem sofrido a grande prova de aflição, Deus tinha selado-os até a vitória completa, de que o apóstolo tinha uma visão profética.
8 - Porque Deus me é testemunha das saudades que de todos vós tenho, em entranhável afeição de Jesus Cristo.
    1:8 afeto. O substantivo grego, como o verbo afins utilizados muitas vezes de Jesus nos Evangelhos (por exemplo, Matt. 9:36; 14: 14), indica profunda emoção.
    8. Eu espero por você com as entranhas de Jesus Cristo - Em Paul, Paul não vive, mas Jesus Cristo. Portanto, ele anseia por eles com as entranhas, a ternura, não de Paulo, mas de Jesus Cristo.
9 - E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento,
    1:9, 10 Paulo diz aos Filipenses que não só ele reza por eles (v. 4), mas também o conteúdo dessa oração. Crença cristã (conhecimento "e todo o discernimento") vem a expressão de amor cristão e no comportamento que é "sincero e sem ofensa" (cf. Col. 1:9-11). A ausência de amor que mostra suposto saber é inútil (1 Cor. 13:1-3), eo amor é por si só o conhecimento mais profundo do tipo (1 Coríntios. 8:1-3). A gravidade da oração de Paulo que "o amor cresça" entre os filipenses se tornará mais evidente no 2:1-18. João nos diz que Jesus Cristo está sob a promessa de Seu Pai (João 6:37-40) e ao seu povo diretamente (João 10:28, 29) para mantê-los assim que eles nunca perecerá. Em Sua oração para os discípulos no final da Última Ceia, Jesus pediu que aqueles que o Pai Lhe deu (João 17:2, 6, 9, 24) seriam preservados para a glória. Cristo continua a interceder por Seu povo (Rm 8:34, Hb. 7:25), e é inconcebível que a sua oração por eles vai ficar sem resposta. Paul celebra a segurança presente e futura dos santos no amor onipotente de Deus (Romanos 8:31-39). Ele se alegra com a certeza de que Deus irá completar th e bom trabalho que ele começou na vida dos crentes (Fp 1:6; cf. 1 Coríntios. 1:8, 9; 1 Tessalonicenses. 5:23, 24, 2 Tessalonicenses. 3:3; 2 Tm. 1: 12; 4:18). A Confissão de Westminster diz: "Eles, a quem Deus aceitou em seu Amado, eficazmente chamados e santificados pelo Seu Espírito, não podem nem totalmente ou finalmente cair fora do estado de graça, mas certamente deve perseverar nela até o fim, e ser eternamente salvos (17,1). A regeneração são salvos, mediante a perseverança na fé e vida cristã para o fim (Hebreus 3:6; 6:11; 10:35-39) como Deus preserva-los. Esta doutrina não significa que todos aqueles que sempre professaram ser os cristãos serão salvos. Aqueles que tentam viver uma vida cristã nas suas próprias capacidades cairão (Mt 13:20-22). A falsa profissão de fé de muitos que disseram a Jesus: "Senhor, Senhor", não será reconhecido (Mt 7:21-23). Aqueles que buscar a santidade de coração e amor ao próximo e assim mostrar-se ter sido regenerados por Deus têm o direito de acreditar-se seguros em Cristo. A crença na perseverança bem entendido, não levar a vida desregrada ea presunção arrogante. A regeneração pode cair e cair em pecado. Ao fazê-lo se opõem à sua própria natureza nova, e do Espírito Santo convence-los de seus pecados (cf. João 16:8) e os obriga a se arrepender e ser restaurado para a justiça. Quando regenerar os crentes manifestam um desejo, humilde gratidão para agradar a Deus que os salvou, o conhecimento de que Ele se comprometeu a mantê-los seguros para sempre aumenta esse desejo.
    9. E peço isto: que o seu amor - que já tinha mostrado. Abunde ainda mais e mais - O fogo que ardia no apóstolo nunca diz: Basta. Em conhecimento e em todo o sentido espiritual - Qual é o fundamento de todo o conhecimento espiritual. Temos de ser sensatos interiormente de paz divina, da alegria do amor, do contrário, não podemos saber o que são.
10 - Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo;
    10. Para que possais experimentar - Por que o sentido espiritual. As coisas que são excelentes - Não é somente bom, mas o melhor, o superior de excelência que dificilmente é percebido, mas o cristão adulto. Para que sejais sinceros interiormente - Ter um único olho para as coisas melhor, e um coração puro. E externamente sem ofensa - Santo, irrepreensível em todas as coisas.
11 - Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.
    1:11 Não é apenas o pecador justificado pela fé em Cristo (3:9), mas "o fruto da justiça", ou a vida justa que se segue, é também "por Jesus Cristo" através do trabalho de Seu Espírito (Gl 5:22, 23), "para a glória e louvor de Deus" o Pai. Todas as três Pessoas da Divindade são ativas na santificação dos crentes.
    11. Ser preenchido com os frutos da justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus - Aqui estão as três propriedades de que a sinceridade que é agradável a Deus: 1. Deve dar frutos, os frutos da justiça, toda a santidade interior e exterior, todos os temperamentos bons, palavras e obras, e que tão abundantemente, que pode ser preenchido com eles. 2. O ramo e as frutas devem derivar tanto sua força e seu próprio ser a partir do todo - de apoio, todos - fornecedores de raiz, Jesus Cristo. 3. Como todo o fluxo desses de graça de Cristo, de modo que deve emitir a glória e louvor de Deus.
12 - E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho;
    1:12 para a promoção do evangelho. Por causa da prisão de Paulo, o evangelho passou irresistivelmente através da guarda do palácio e não só.
    12. As coisas sobre mim - meus sofrimentos. Ter caído um pouco para o avanço, que, como se temia, o impedimento, do evangelho.
13 - De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares;
    1:13 todo o resto. prisão de Paulo para Cristo tornou-se conhecido não só para os soldados atribuído ao imperador, mas também para a família imperial ( cf. 4:22) e, talvez, o povo romano além.
    13. Minhas prisões em Cristo - suportado por sua causa. Foram feitas manifesto - Aviso tomadas Muito. Em todo o palácio - do imperador romano.
14 - E muitos dos irmãos no SENHOR, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor.
    1:14 irmãos. Paulo usa esse termo para tratar tanto homens e mulheres.
    no Senhor. Esta frase paulina pontos importantes para a união do crente com Cristo e com os recursos disponíveis divina através de Cristo àqueles unidos a Ele (4: 13). A expressão ocorre nove vezes em Filipenses (contando 2:19). Por meio de prisão de Paulo, o Senhor fortalece e incentiva os cristãos a proclamar o evangelho sem medo.
    14. E muitos - que foram antes de medo. Confiando no Senhor pelas minhas prisões - Quando eles observaram a minha constância, e sem prejuízo da segurança, são mais ousadas.
    15, 16. Verdade que alguns pregam a Cristo por contenção - invejando o sucesso St. Pauls, e tentando machucá-lo assim. Sinceramente não - de um verdadeiro desejo de glorificar a Deus. Mas, supondo que - embora eles ficaram desapontados. Para adicionar mais aflição às minhas prisões - Por irritando os romanos contra mim.
15 - Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade;
16 - Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões.
17 - Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho.
    17. Mas os outros por amor - a Cristo e para mim. Conhecimento - não apenas supondo. Que eu sou set - Literalmente, eu minto, mas ainda vai para a frente em seu trabalho. Ele permaneceu em Roma, como embaixador em um lugar onde ele é empregado de uma embaixada importante.
18 - Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda.
    18. Na pretensão - Em cor de propagação do evangelho. Na verdade - Com um projeto real de o fazer.
19 - Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo,
    1:19 libertação. Paul espera ser libertado da prisão, mas ele não pode estar certo de que (vv. 20-27; 2:24) . Deus vai entregá-lo (v. 28) por meio de Sua organismos designados, humano e divino ( "a oração" e "o Espírito de Jesus Cristo").
    Espírito de Jesus Cristo. Paulo identifica a terceira pessoa da Trindade, como o Espírito de Deus e como o Espírito de Cristo (Rm 8:9; Gal. 4:6).
    19. Esta é transformar a minha salvação - devem adquirir-me um maior grau de glória. Através de sua oração - Obter para mim uma fonte maior do Espírito Santo.
20 - Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte.
    1:20 paixão de Paulo não é nem para viver nem para morrer, mas para ver o que acontece ampliada Cristo (2:17, cf. Rom. 12: 1, 2).
    20. Como sempre - Desde a minha chamada para o apostolado. No meu corpo - no entanto, podem ser eliminados. Como isso poderia ser, ele ainda não sabia. Para que os apóstolos não sabiam todas as coisas, especialmente nas coisas concernentes a eles, que tinham espaço para exercitar a fé ea paciência.
21 - Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.
    1:21 viver é Cristo. Cristo é motivo de Paulo para ser.
    morrer é lucro. Longe de romper a união de Paulo com Cristo, a morte trará Paul em uma experiência mais profunda do que a união.
    21. Para mim o viver é Cristo - Conhecer, amar, seguir a Cristo, é a minha vida, a minha glória, minha alegria.
22 - Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher.
    22. Aqui ele começa a tratar da cláusula primeira do verso anterior. Destes últimos ele trata, cap. ii, 17. Mas se eu estou a viver é a carne, este é o fruto do meu trabalho - Este é o fruto do meu viver mais tempo, que eu posso mais trabalho. trabalho Glorioso! fruto desejável! Nesta exibição, longa vida é realmente uma bênção. E o que eu deveria escolher Eu não sei - Ou seja, se fosse da esquerda para a minha escolha.
23 - Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.
    1:23 pressionados. Paulo quer estar com Cristo, mas também para permanecer na terra para o bem da Igreja. Este é o seu dilema. No entanto, o resultado está nas mãos de Deus, e Paulo está confiante de que Deus tem mais trabalho para ele fazer entre os Filipenses (vv. 24, 25).
    estar com Cristo. language Paulo aqui lança luz sobre a natureza do estado intermediário (ou seja, a condição de uma pessoa entre os tempos da morte física e a ressurreição). Veja a nota teológica "A morte eo estado intermediário." Morte ea Morte Intermediário e do Estado Intermediário
    23. Para afastar - Fora de títulos, a carne, o mundo. E para estar com Cristo - Em um próximo e união mais forte. É melhor se afastar, é muito melhor estar com Cristo.
24 - Mas julgo mais necessário, por amor de vós, ficar na carne.
25 - E, tendo esta confiança, sei que ficarei, e permanecerei com todos vós para proveito vosso e gozo da fé,
    25. Eu sei - Em um anúncio profético dado a ele enquanto ele estava escrevendo. Que eu continue mais algum tempo com você - e, sem dúvida, ele viu-los após este parto.
26 - Para que a vossa glória cresça por mim em Cristo Jesus, pela minha nova ida a vós.
27 - Somente deveis portar-vos dignamente conforme o evangelho de Cristo, para que, quer vá e vos veja, quer esteja ausente, ouça acerca de vós que estais num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo ânimo pela fé do evangelho.
    1:27 um espírito ... uma mente. Paul está apelando para a unidade entre os crentes.
    esforço. Paulo exorta os leitores a quebrar sob pressão da oposição, mas ao invés de exercer uma pressão dos seus próprios. Isto significa s proclamar o evangelho creram (Ef 1:13), e de vida digna.
    27. Apenas - Tenha cuidado para isso, e nada mais. Permanecei firmes num só espírito - por unanimidade o mais perfeito. Juntos - Com a força unida e esforços. Para a fé do Evangelho - por todas as bênçãos revelou e prometeu aí.
28 - E em nada vos espanteis dos que resistem, o que para eles, na verdade, é indício de perdição, mas para vós de salvação, e isto de Deus.
    1:28-30 Paulo oferece aos crentes de Filipos quatro garantias. (a) a sua coragem em face da oposição é um sinal do julgamento divino enfrentando os perseguidores (2 Tess. 1:5-10). (b) Sua coragem é também um sinal da salvação dos crentes, no sentido próprio, cheio redentora (Rm 1:16; 13:11). (c) O sofrimento de Cristo é uma honra dada por Deus (3:10). (d) ações de Paulo na sua luta (vv. 7-26; Atos 16:19-24; 1 Tessalonicenses. 2:2), e seu exemplo pode incentivá-los apenas como faz "os irmãos" (v. 14). Não sabemos como os seres humanos teriam deixado este mundo se não houvesse queda; algumas dúvidas se eles nunca teria feito isso. Mas como ele é, o fruto do pecado e do juízo de Deus sobre ele traz sobre a separação do corpo e da alma através da morte física (Gn 2:17, 3:19, 22; Rom. 5:12, 8:10, 1 Cor. . 15:21), tornando-se uma certeza para todos. Esta separação de alma e corpo é uma conseqüência da separação espiritual de Deus, que primeiro trouxe a morte física (Gn 2:17, 5:5) e que será aprofundada após a morte para quem deixar este mundo sem Cristo. Em si, a morte é um inimigo (1 Coríntios. 15:26) e um terror (Hebreus 2:15). Para os cristãos, o terror final da morte física é abolida. Jesus, o Salvador ressuscitado, ele mesmo passou por uma morte terrível, sofrendo a ira de Deus. Ele tira de nós a ira de Deus, e Ele vive para nos ajudar a sair deste mundo para o lugar que Ele preparou para os próximos (João 14:2, 3). Os cristãos sabem que a sua própria morte iminente é uma nomeação para encontrar seu Salvador, que Ele vai manter fiel. Paulo podia dizer: "Porque para mim o viver é Cristo, e morrer é lucro". Ele desejou "partir e estar com Cristo, que é muito melhor" (Filipenses 1:21, 23), sabendo que "estar ausente do corpo" é "estar presente com o Senhor" (2 Cor 5.: 8). Na morte, as almas dos crentes são aperfeiçoadas em santidade e entra na vida de adoração do céu (Hebreus 12:22-24). Em uma palavra, eles são glorificado. Alguns não aceitam isso, mas ensinar a vez que há uma disciplina do purgatório após a morte no valor de uma nova fase de santificação. Neste alma do purgatório é preparado por um período de tempo, para ser purificado para a visão de Deus. Esta doutrina não é encontrada na Bíblia. Os santos que vivem na terra, na vinda de Cristo será aperfeiçoada moral para estar com Ele no momento em que seu corpo se transforma (1 Coríntios. 15:51 - 54), e parece que Paulo, eo ladrão na cruz, o esperado admissão mesmo a presença de Deus. Outros dizem que os crentes passam para uma alma?] Sono e inconscientes entre a morte ea ressurreição. A Bíblia, no entanto, sempre representa o partido como conscientes (Lc 16:22, 23:43; Phil. 1:23, 2 Coríntios. 5:8; Apocalipse 6:9-11; 14:13). Em si estar sem o corpo é uma desvantagem; vivemos através de nossos corpos, e estar sem o corpo deve ser limitada e empobrecida. Paulo deseja ser "vestida" com o corpo da ressurreição, e não quer de todo ser "despido" (2 Coríntios. 5:4). A ressurreição do corpo é uma esperança distintivo cristão confessada por todos os ramos da Igreja na Terra. A morte é decisiva para o destino. A Bíblia não ensina que depois da morte há uma outra possibilidade de salvação para os perdidos (Lucas 16:26; Heb. 9:27). Após a morte, ambos piedosos e os ímpios colher o que semeou neste mundo (Gálatas 6:7, 8).
    28. Que - Ou seja, seus adversários sendo a palavra de Deus, e você os mensageiros de Deus. É uma prova evidente - que estão na estrada para a perdição, e você, no caminho da salvação.
29 - Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nele, como também padecer por ele,
    29. Para lhe é dado - como um símbolo especial do amor de Deus e do seu estar no caminho da salvação.
30 - Tendo o mesmo combate que já em mim tendes visto e agora ouvis estar em mim.
    30. Tendo o mesmo tipo de conflito com seus adversários, o que vistes em mim - Quando eu estava com você, Atos XVI, 12, 19, & c. http://www.ccel.org/ccel/wesley otes.i.xii.ii.html




Untitled Document

Velho Testamento


Gênesis I Samuel Ester Lamentações Miquéias
Êxodo II Samuel Ezequiel Naum
Levítico I Reis Salmos Daniel Habacuque
Números II Reis Provérbios Oséias Sofonias
Deuteronômio I Crônicas Eclesiastes Joel Ageu
Josué II Crônicas Cânticos Amós Zacarias
Juízes Esdras Isaías Obadias Malaquias
Rute Neemias Jeremias Jonas


Novo Testamento


Mateus I Corintios I Tessalonicenses Filemom I João
Marcos II Corintios II Tessalonicenses Hebreus II João
Lucas Gálatas I Timóteo Tiago III João
João Efésios II Timóteo I Pedro Judas
Atos Filipenses Tito II Pedro Apocalipse
Romanos Colossenses